Turbo Mental – 3 Anos de Experimentos com Cafeína Concentrada

Um dos grandes pilares do desenvolvimento pessoal é autoexperimentação. Quando comecei nessa jornada, lembro de Sebastian Marshall falando que levaria uns 3 anos de experimentação constante até você se conhecer de modo razoável. Mergulhar na cafeína foi um passo natural.

Na época, 3 anos pareceu tempo demais, mas hoje vejo como um horizonte razoável. Não significa que você só vai colher os frutos depois de 3 anos; os primeiros resultados chegam bem rápido. O ponto é que para conhecer cada área de sua vida relacionada ao aumento da produtividade leva tempo.

Nos últimos anos, descobri as cápsulas de cafeína concentradas (como essas). Utilizadas corriqueiramente como termogênicos (acelerar a queima durante exercícios físicos longos), elas têm efeito mental poderoso e podem ser usadas como “potencializadores cognitivos”.

O que segue abaixo é o condensado do que aprendi com autoexperimentação nos últimos anos. É uma ferramenta poderosa, da qual não abro mão e que causou um impacto gigante na minha produtividade.

Contudo, não se trata de conselho médico e vai variar de pessoa para pessoa. Aliás, é sempre bom checar com seu médico de costume sobre potenciais efeitos em sua saúde de tomar cafeína concentrada.

Só não espere conhecimento profundo de seu médico, porque eles não estão acostumados a ajudar pessoas saudáveis a desbravarem os limites – todo o padrão de educação que tiveram foi para ajudar pessoas doentes a voltarem à “normalidade”. Faça suas próprias pesquisas.

Principais lições

*Uma capsula de cafeína tem um impacto sensível, mas é muito menos perigoso do que parece; é uma droga bem segura. Para fins de comparação: 1 cápsula (~ 210mg de cafeína) = 2~3 cafés expressos (70~100mg).

*Eu tomo café desde criança. Minha família tem o hábito de beber café diariamente à noite e ocasionalmente pela manhã também; junte isso a fato de eu ter bebido minha primeira xícara (ainda que diluída) antes dos três anos, então sou uma pessoa do café – mais de 20 anos bebendo diariamente.

*O limite de ingestão letal é 150mg/kg. Ou seja, uma mulher de 50kg não pode passar de 7500 mg por dia (ou ~100 latas de redbull). Não tem motivo de ir para o extremo se com tão pouco, 210mg, você já sentirá o efeito. A menos que tenha outras condições de saúde que interajam com a cafeína de um jeito especial é bem seguro.

*Refrigerantes, alguns chás, energéticos, guaraná e outros alimentos do dia a dia também possuem cafeína.

*Sem muitos detalhes bioquímicos, mas a cafeína funciona se juntando aos receptores de adenosina no sistema nervoso central. Quando a adenosina se junta a estes receptores produz uma resposta biológica de cansaço. Esse processo não CAUSA o cansaço, só sinaliza para o corpo inteiro. Assim, a cafeína funciona “sabotando o processo de cansaço” do corpo, impedindo que ele aconteça.

*Cafeína não te dá superpoderes. Do mesmo jeito que a dor é um sinal desconfortável, mas importante porque indica que algo está errado, a reação corporal de cansaço também é relevante pois indica a necessidade do corpo se recuperar. Por isso, é preciso usar com responsabilidade.

*No final das contas, é preciso utilizar o café que bebemos ou cápsula de cafeína com responsabilidade. O que proponho aqui é usá-lo de “propósito”, não apenas bebendo café como reflexo do cansaço que nem costumamos fazer no dia a dia. Usar cápsulas deixa a medida mais precisa e mais fácil de controlar.

*A cafeína costuma fazer efeito em 10-15 min. Como se sabe? A melhor forma de descrever é que você consegue pensar mais claramente; é uma mudança BEM sensível, você vai saber quando senti-la.

*Surge energia e empolgação para fazer as coisas. Os principais efeitos que notei foram dissipação do sono, aumento da clareza mental, aceleração do metabolismo e ansiedade.

*Dependendo do dia, o efeito de clareza mental, que nos interessa para produzir, pode durar até 3h até começar a enfraquecer. Dá para tirar 4h produtivas tranquilamente.

*Durante o efeito, beba bastante água, porque você vai urinar bastante. Como acelera seu metabolismo, provavelmente sentirá a necessidade de defecar em até 1h da ingestão.

*Próximo ao fim do efeito, você irá sofrer com o chamado “crash” (quebra). O crash é tanto relativo quanto absoluto. Quando o efeito passa, naturalmente você fica num estado de energia menor que estava sob efeito (crash relativo), mas também fica abaixo do que estava antes (crash absoluto). Natural, você cansa, especialmente se tiver produzido bem durante o período.

*Existem duas estratégias de ingestão: tomar cafeína (1) quando você está muito cansado, para te trazer de volta ao normal ou (2) quando você está bem, para te empurrar para níveis mais altos.

*Já vi algumas pessoas recomendarem o “cochilo da café”: a ideia é tomar uma cápsula e deitar para cochilar até o momento em que o efeito começa (~ 15 min), daí você acorda duplamente energizado. Quando experimentei, não funcionou – lembro de ter ficado preso em um sono estranho. Foi uma experiência curiosa, eu sentia que meu corpo estava dormindo, mas minha mente acordada – fiquei no “limbo” por muito tempo. Ou pode ter sido um sonho extremamente esquisito, não tenho como diferenciar. Enfim, não funcionou para mim do jeito que se propõe por aí.

*É comum eu tomar cafeína, esquecer que tomei, depois me pegar altamente empolgado com alguma coisa (ansiedade positiva). Aí me pergunto: “de onde vem essa empolgação? esse projeto vai ser tão bom assim?” Daí me lembro que é a cafeína.

*Por outro lado, essa ansiedade extra pode ter impacto negativo se você já tem problemas de ansiedade ou se está passando por uma situação estressante. Procuro evitar se vou me colocar numa situação de medo (ex: quando dei minha 1a grande palestra) – já vai ter adrenalina demais no meu sangue.

*Pelo excesso de energia, é muito fácil se distrair sob efeito de cafeína. Você senta para escrever um texto e, quando dá conta, está discutindo sob teorias econômicas em um fórum obscuro da internet por horas.

*É essencial preparar a sessão de trabalho com antecedência – definindo exatamente o que você pretende alcançar, o que vai comer nesse intervalo e reduzir a possibilidade de distração. Imagine a si mesmo como uma criança com baixo ciclo de atenção, mas altamente produtiva se permanecer focada.

*Gosto de estruturar sessões de pelo menos 4h de trabalho altamente focado e tomar cafeína em preparação para elas.

*O café como droga tem um efeito de adaptação rápido – você precisa aumentar a dose, se tomar com frequência, para ter o mesmo efeito (o efeito da Rainha Vermelha). Por isso, o ideal é usá-lo em ciclos para remover do seu organismo por completo e “zerar” a adaptação. Algo como 3 semanas com, 1 sem cafeína de qualquer tipo.

*Cafeína vicia – (normalmente) não no sentido de compulsão psicológica para ingerir, mas do ponto de vista biológico. Se você toma com frequência, no dia que não tomar, vai sentir os efeitos físicos da abstinência, normalmente baixa energia e dor de cabeça.

*Em suma, cafeína em cápsula é uma forma de regular de modo mais preciso a tomada de café, bebida que já está integrada na vida da maioria dos brasileiros. Uma forma barata de ter os benefícios cognitivos sem tem as calorias associadas ](imagine um starbucks). Tem efeito muito positivo na produtividade, mas requer preparação e autoconhecimento.

Consulte seu clínico geral e faça suas próprias pesquisas, mas minha experiência pessoal é um ganho significativo de produtividade quando a cafeína é integrada a minha operação pessoal.

Comentar no facebook

 

Paulo Ribeiro

Autor, empreendedor, amante do aprendizado e um estrategista moderno. Escreve sobre estratégias para viver uma vida melhor e mais significativa.