• Share on Google+

Não, ninguém vai te dar uma medalha porque leu X livros em um ano.

Na realidade, não existe uma vantagem explícita escrita em algum lugar que “ler tantos livros vai fazer sua vida melhorar”. Não, livros são informação e experiência alheia; são úteis a partir do momento que mudam sua visão de mundo e são transformados em ação.

Isso não quer dizer que você vai pegar um livro e passar o resto do ano apenas relendo e destilando ele. Chama-se preguiça e falta de costume. Mas também quer dizer que faz parte de sua responsabilidade como leitor garantir que a informação sendo obtida vai ser processada e transformada em algo útil. Seja isso ajudar em um projeto, melhorar sua vida, se transformar em um texto… qualquer coisa de valor.

Eu sempre gostei de ler, desde bem pequeno. Minha mãe costumava (e costuma) dizer: “leia qualquer coisa, nem que seja bula de remédio, mas leia”. Com esse mindset, fui alfabetizado cedo e me tornei um alfabeto funcional mais cedo ainda.

No começo da adolescência, eu simplesmente mergulhei de cabeça na série Harry Potter. Li os sete livros, alguns bem rápido (li o 3 12h quase direto) e todos mais de uma vez. Essa fase foi importante para me habituar com livros maiores e para me ensinar o prazer que a leitura, quando ficção, pode te causar por te transportar para outros mundos.

Até 2011, quando comprei um kindle. Como a Amazon ainda não tinha chegado ao Brasil, a maior parte dos livros disponíveis eram em inglês; não tive alternativa a não ser começar a ler. Por ser o primeiro ano, a velocidade ainda estava normal e li poucos livros em 2011.

No final de 2011, começo de 2012 eu conheci um site chamado Goodreads. Ele é similar ao Skoob aqui no Brasil, funcionando como uma rede social para leitores, onde você pode marcar e dar notas a livros que já leu, ver os livros de seus amigos, etc. Como amigos meus estavam nesse site (ao contrário do Shelfari, minha opção anterior), migrei para ele e comecei a atualizar os livros que já li.

2012 Desafio de Leitura - GoodreadsUma coisa me chamou atenção: o 2012 Goodreads Reading Challenge. Simples: quantos livros você vai ler esse ano? Pensando em um número alto e alcançável, coloquei a meta em 36 (eu me guiei por Eduardo, outro leitor ávido que já tinha um kindle antes de mim). Depois de um período de leitura intensa em dezembro, bati minha meta.

Lá do meu facebook:

Alcancei uma das metas de 2012.

Tinha criado um desafio de leitura, 36 livros no ano. Com um pouco de esforço, consegui. Na realidade, já ultrapassei a meta e o número ainda vai crescer até o ano acabar. Dedico tudo isso ao Kindle. Os 5 melhores livros (fora de ordem):

– “O mundo assombrado pelos demônios”, por Carl Sagan
– “Ikigai”, por Sebastian Marshall.
– “Harry Potter e os métodos da Racionalidade”, por Eliezer Yudkowsky
– “Trabalhe 4 horas por semana”, por Tim Ferriss
– Bumerangue, por Michael Lewis

Menção honrosa vai para “Claro que você está brincando, Sr. Feynman”, por Richard P. Feynman

Entrei em 2013 depois de ter conhecido Ryan Holiday e sua paixão por leitura. O que antes para mim era algo que eu amava fazer, agora passou a ser algo levado tão a sério quanto qualquer projeto. Se você perdeu aqui, vai o posicionamento de Ryan para a leitura:

Eu prometi a mim mesmo há muito tempo atrás que se eu encontrasse um livro um livro que me interessasse, eu não deixaria tempo, dinheiro ou qualquer outra coisa me impedir de tê-lo. Isso significa que eu trato leitura com certa quantidade de respeito. Tudo o que peço, se você decidir me enviar um email, é que você não esteja apenas pensando em voz alta. Aproveite esses livros, trate sua educação como o emprego que é e me avise se você precisa de qualquer coisa em qualquer momento.

Pensei: certo, li 3 livros por mês em 2012, então posso ler 4 esse ano, não vai ser muito difícil. Minha meta inicial seria, por tanto, 48 livros.

Daí uma experiência meio maluca aconteceu: eu conheci uma série de livros chamada Os Arquivos Dresden. A ficção é tão boa que li 13 livros em um mês. Treze livros grandes, de 400~500 páginas, em um mês, o que dá mais de 3 livros por semana. Isso chamou minha atenção para o fato de que eu seria capaz de ler essa quantidade toda se quisesse.

Claro, no caso da série de ficção, eu li porque a escrita é atraente e faz o leitor vidrar no livro. Mas, e se eu estivesse lendo um livro de não-ficção importante, conseguiria ler na mesma velocidade?

Não. Livros de não-ficção precisam de tempo para ser fixados. Contudo, mesmo assim, achei que conseguiria processar 5 livros por mês. Se eu li 13 de ~450 páginas em um mês, porque não conseguiria processar 5 de ~350 páginas? Daí então surgiu a nova meta: 60 livros em 2012.

Ficção é importante e já falamos disso por aqui. Porém, não é exatamente algo que eu priorize agora; estou em um momento da vida e dos negócios no qual eu preciso de aprendizado, que vai ser imediatamente processado e transformado em ação. Por isso, para “descontar” os livros de ficção que eu li, arrendondei a meta para cima: 72 livros. Um número bem grande de verdade.

Desafio de Leitura 2013

2013 Reading Challenge
Paulo R. leu 37 livros em direção a sua meta de 72 livros.
hide

Qual é a Ideia Para o Futuro

Eu não sei se vou ler tantos livros em 2014 quanto pretendo em 2013. O que eu quero com esse desafio é abrir espaço na minha vida para algo que eu acho tão essencial quanto comer ou dormir. Quero tornar o ato de leitura reflexivo, algo que nem pense mais a respeito mas faça.

É como se a vida fosse um quarto bagunçado, cheio de coisas. E a leitura fosse a atividade de atravessar esse quarto de um lado ao outro. Em 2013, estou andando e empurrando a mobília de lado, derrubando coisas, criando um caminho confortável. Isso significa que sempre que eu for atravessar o quarto precisarei fazê-lo dessa forma? Que todo ano vou ler na mesma velocidade?

Não. Isso só significa que, inicialmente, é preciso criar espaço para aquilo na sua vida. De modo que amanhã, quando você for atravessar o quarto, já o faça sem esforço e de modo tranquilo.

E sua leitura, como anda?

Linda foto de uma mulher lendo em Paris. Foto tirada por JMVnoos. Link original aqui.

  • Felippe
    Responder
    Author
    Felippe

    Meta desafiadora, hein, Paulo! Também sou um ávido leitor, mas oscilo muito entre períodos de intenso consumo de livros (4 a 5 por mês) e períodos de baixo ou nenhum consumo (quando passo a ler mais blogs e notícias em geral).
    Qual método você já utiliza e utilizará para manter esse ritmo de leitura? Como funciona a rotina/disciplina para seguir com a meta? E mais, lendo tanto assim, o aprendizado não fica prejudicado? Eu já senti uma coisa do tipo: “Ok. Li uma porrada de coisas esse mês, mas o que eu mais extraí, o que mais é útil ou será aplicado desse conteúdo todo?”.
    Abraço!

    • Paulo Ribeiro
      Responder
      Author
      Paulo Ribeiro

      Eu não faço leitura superrápida, leio devar até, pois foco em capturar bem o conteúdo do material.

      Sua pergunta me deu a ideia de escrever sobre meu método. Farei isso em breve, fica de olho!

      Recomendas algum livro bom?