(Você Tem?) Algo Para Proteger

No gestalt da ficção japonesa, você pode encontrar esse tema repetidamente: Poder vem de ter algo para proteger.

Não estou falando apenas sobre super-heróis que aumentam de poder quando um amigo é ameaçado, da maneira que acontece em ficções Ocidentais. Na versão japonesa é mais profundo do que isso.

Na saga X é dito explicitamente que cada um dos caras do bem tiram seu poder de ter alguém – uma pessoa – que eles querem proteger. Quem? Essa questão é parte do enredo de X – “a pessoa mais preciosa” não é sempre quem nós achamos que é. Mas se aquela pessoa é morta, ou machucada da maneira errada, o protetor perde o poder – não tanto por causa da parte mágica, mas simplesmente de desespero. Isso não é algo que acontece uma vez por semana por cara do bem, do modo que iria acontecer nos quadrinhos Ocidentais. É o equivalente a ser morto de verdade – removido do tabuleiro.

Do jeito que funciona nos quadrinhos Ocidentais de super heróis é que o cara do bem é mordido por uma aranha radioativa; e então ele precisa de algo para fazer com os poderes dele, para manter ele ocupado, então ele decide lutar o crime. E então os superherois do Ocidente estão sempre de mimimi sobre quanto tempo as tarefas de superherói toma dele e como ele preferiria ser um mortal ordinário para que ele pudesse ir pescar ou algo assim.

Similarmente, na vida Ocidental, pessoas infelizes são ditas para encontrarem um “propósito na vida”, que eles devem pegar alguma causa altruísta que se encaixe com suas personalidades, como pegar cortinas bonitas para a sala de estar, e que isto vai brilhar os dias deles com alguma cor, como boas cortinas de salas de estar. Só tome cuidado para não pegar algo muito caro.

Em quadrinhos Ocidentais, a mágica vem primeiro, então o objetivo: adquirir poderes incríveis, decidir proteger os inocentes. Na ficção japonesa, frequentemente, funciona ao contrário.

—-

Tradução parcial do  texto Something To Protect, do Eliezer Yudkowsky. Destaques por minha conta.

—-

Não vou falar muito além disso. Leia esse trecho e rumine ele até a ficha cair. Excelente observação.

 

Paulo Ribeiro

Autor, empreendedor, amante do aprendizado e um estrategista moderno. Escreve sobre estratégias para viver uma vida melhor e mais significativa.