MORRER É ERRADO

Eu não sei o que te disseram, mas morrer é errado. As pessoas não deveriam morrer, não deveriam simplesmente PARAR DE EXISTIR.

Isso é um dos fatos mais tristes e assustadores da vida. Tão assustador que a gente se consola contando historinhas para nós mesmos sobre como “ele descansou” ou como “a morte faz parte da vida”.

Não, não faz.

A morte é só esse incoveniente evolutivo com o qual a humanidade ainda não aprendeu a lidar. Um dia ELE não vai existir mais e ninguém vai precisar dizer ‘adeus’ NUNCA MAIS às pessoas que ama. Eliezer Yudkowsky

E ‘morte’ vai ser apenas aquela coisa assustadora que nos assombrou num passado muito distante e não ameça mais a humanidade.

Nosso descendentes distantes, milhões de anos no futuro, contando histórias e lendas sobre a Antiga Terra, não vão mencionar ‘morte’ às crianças até que elas estejam velhas o suficiente para entender. E para não se assustarem com algo tão terrível que um dia perseguiu e dizimou a raça humana.

Eu acredito, sinceramente acredito, que podemos lutar contra esse mal. Nós chegamos à lua usando calculadoras menos potentes que seu telefone. Seu telefone!

Imagina o potencial que temos se levar esse problema a sério? Encará-lo como prioridade nível um de toda a espécie humana?

Ao invés de gastar tanto dinheiro de modo ineficiente em saúde, poderíamos investir parte disso para nos livrar disso de uma vez por todas. E podemos.

Basta olhar para aquele canto escuro da sala, que tem um monstro tão assustador que você não quer nem arriscar passar o olho nele. É naquele canto que está morte. É para ela que você precisa olhar e parar de inventar historinhas infantis para se consolar.

Quanto a mim? Eu vou lutar contra a morte. Com tudo o que eu puder ou morrer tentando.

Mas outro vai assumir a luta depois de mim. E outro. E outro. Até que esse inimigo esteja abatido.

Encare o monstro. E vamos à luta.

 

Paulo Ribeiro

Autor, empreendedor, amante do aprendizado e um estrategista moderno. Escreve sobre estratégias para viver uma vida melhor e mais significativa.

 

10 thoughts on “MORRER É ERRADO

  1. Fala Paulo, beleza?

    Concordo contigo que a morte é um incoveniente evolutivo. Porém, trago alguns pontos para a discussão:

    1 – Infinitas maneiras de morrer: Talvez o principal problema pra um dia a humanidade obter a imortalidade é lidar com tantas possibilidades de morrer. Se você pensar bem,é como diz o velho ditado “para morrer basta estar vivo”. Morrer é fácil demais. Mas supondo que nós conseguimos chegar nesse nível…

    2 – “Vovô garoto”: Ok, conseguimos todos durar pra sempre… mas nosso físico ficou como? “Sou imortal, mas estou sem uma perna”… isso é um presente de grego. Ser imortal como um velho em estado terminal também não deve ser lá muito legal. No final das contas, só ficaria interessante se fosse com o Wolverine. Tipo, congelar seu estado no ápice… e pegar a Vampira, claro (Ah, Anna Paquim…). Só que estando congelados no nosso estado mais maneiro…

    3 – “Por favor, parem de fazer filhos!!!”: Imagine o mundo todo jovial, forte, atlético e cheio de hormônio. Imagine esse pessoal todo sabendo que não vai morrer nunca. Agora imagine todo esse pessoal se reproduzindo loucamente, afinal pra que camisinha se AIDS não vai matar ninguém mesmo? O mundo simplesmente não conseguiria dar conta do recado. Tudo bem, ele registrou bravamente contra tudo durante milhões de anos… mas isto é uma coisa com a qual não vai dar pra lidar e aí, viver eternamente será um fardo.

    No final das contas, parece que a morte tem seu valor sim.

    1. Excelentes levantações, Luís.

      1. Também penso nisso o tempo todo. Por mais que consigamos viver marginalmente mais (+10, +15 anos) ainda há muitos modos de morrer. True. Mas aí é que está: precisamos dar um jeito de salvar o software e trocar de hardware, pelo menos como eu vejo.

      Assumo que corpo-consciência são coisas separadas e que o último pode existir independente do primeiro. Não são prioris bem embasados teoricamente (embora mt gente inteligente os defenda),

      2. Aumentar a longevidade sem manter uma qualidade de existência também não faz muito sentido, concordo com você.

      3. Para isso existe um universo infinito esperando para ser colonizado.

      Novamente, não é porque encontramos problemas que paramos e desistimos. Isso só significa que devemos ser mais criativos. Sinceramente, prefiro ser imortal e ter que lidar com superpopulação do que ver todos os seres humanos da terra morrendo ou vindo a morrer em <100 anos.

      Como você colocou, temos algumas restrições criativas para a resolução desse problema: descobrir como funciona a mente e se o 'eu' pode ser separado do corpo, como aumentar o lifespan sem diminuir a qualidade de vida e como lidar com o problema da superpopulação uma vez que sejamos imortais.

      Isso só significa que sabemos onde investir para tratar o problema. E felizmente tem gente pensando no assunto com algumas iniciativas interessantes.

    2. 1- Esse é um risco existencial, e isso pode ser combatido, as chances de você morrer em um acidente hoje em dia é muito menor que a de seus antepassados, e esse risco pode ser eliminado a medida que aumentemos noss poder sobre o mundo.
      2- seu corpo se mantém jovem por cerca de 30 anos correto? Por que derrepente ele para de se renovar? Por negligência do nosso organismo, que só evoluiu o nescessário para se reproduzir, somos “K-estrategistas”como Dawkins disse, porém isso não precisa ser assim, ao se reverter os efeito do envelhecimentos, você não perde seu estado “maneiro” e consequentemente também não morre de velhice, Quanto a perder-se uma perna, o avanço da tecnologia permitirá se solucionar tais incomodos, como bem se sabe já podemos imprimir orgãos em 3d.
      3- Essas pessoas não querem ter filhos, elas querem fazer sexo, é diferente, dá para fazer sexo sem ter filhos, inclusive pode-se tornar pessoas inférteis sem a nescessidade de camisinha, como vários procesos cirugicos fazem.

  2. Hello Paulo Rivero. I can help you finding your path to not dying if you are serious about it. This is a virtual reality and the controls have been hidden from common culture. But now they are making their way back. The reality is very different of what it looks. Well. the knowledge to understand and control this thing is currently voiced by a lady named Esther Hicks, she is been imparting “The Teachings of Abraham” for almost 30 years, so the body of knowledge is vast, all seminars recorded in audio, some in video, she is the successor of Jane Roberts who wrote “The Seth Books”. So, for your immediate immersion in the teachings go to youtube and search for “Abraham Hicks” and click anything. I’ve been studying the teachings full time for seven years and they work, I already heard all the seminars, there are hundreds. I recommend to yo to do the same, find a way to download all the material and listen to it 24/7 for the next ten years. That would be enough to have an incredible happy and magic life and to be able to prolong your life as long as you want. Also find and read all the Seth books, they are simply amazing. Everything you ever wanted to know is now at your disposal. Good luck.

  3. Querido Paulo estou lendo seu ebook e achando muito interessante… Me deparei com este artigo e a resposta para sua dúvida esta em um livro que sempre responde a todas as perguntas e anseios humanos….

    Da uma conferida em Hebreus capítulo 9…. Em especial o versículo 27… E olha só quem escreveu esse texto incrível?!?!?!? …. Seu xará Paulo.

    ABS e Deus o abençoe

  4. Procure a respeito de “Transhumanismo”, meu amigo. Pelo seu pensamento você certamente é adepto dessa filosofia. E você está certo:

    A morte é um erro. A morte nos rouba tudo, e não devemos aceitar isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *