Série – Entenda A Crise Mundial de 2008

Eu sou fascinado por crises; não apenas crises, mas colapsos. Todo livro que começa com “A ascensão e a queda…”, como no caso do “A ascensão e a queda do Império Romano” ou “A ascensão e a queda do Terceiro Reich”, me deixa com brilho nos olhos. Por quê? Quando estudamos ascensões, crises e declínios, podemos observar grandes forças sociológicas em ação.

Por exemplo, no caso de Roma: por que um império tão grande caiu? Que mudanças no comportamento humano ocasionou e acelerou o processo? Qual foi a parcela de contribuição do Cristianismo para isso? Estudando declínios, entendemos a sociedade, fazemos sentido do mundo.

A crise mundial de 2008, também conhecida pela crise do subprime, atraiu particularmente minha atenção. Primeiro, porque foi uma crise já no mundo conectado, pouco depois da revolução na informação. Ou seja, foi interessante observar o impacto da distribuição rápida de informações sobre os mercados pelo mundo; por exemplo, como um mercado de tóquio caía depois dos investidores saberem de uma baixa na Europa. E segundo, pois eu vivi (e ainda vivo) essa crise. Lembro perfeitamente de ir à aula de geografia e meu professor tentar explicar porque os mercados por todo o mundo estavam caindo 10 ~ 15% todos os dias.

Mapa da crise 2008
Olha o tamanho da brincadeira: países em tom avermelhado entrar em recessão oficial.

O engraçado é que ninguém sabe nada sobre isso. Eu saí perguntando às pessoas, mesmo algumas credenciadas, como economistas e admnistradores formados, e tudo que falavam era pura repetição do que víamos nos noticiários. Estávamos numa bagunça e ninguém entendia direito o porquê.

Nos últimos anos, procurei bastante um livro que explicasse bem tudo isso. Eu dou maior valor a livros em geral pois eles têm o dever de ser conciso, mostrar o escopo da situação e argumentar o ponto principal; exatamente o que estava procurando sobre a crise do subprime. Contudo, mesmo com buscas intensas, não encontrei nada decente. Até agora.

Por acidente, um dos livros escolhidos para o podcast/clube do livro Sátira Platônica, do qual faço parte, foi Bumerangue, do Michael Lewis. Foi pura sorte. Quando comecei a lê-lo, me apaixonei por dois motivos: o livro abordava a crise exatamente do jeito que eu queria e o estilo do Michael Lewis de escrever, por ele ser um jornalista (e não economista), era uma delícia de ler.

A crise das hipotecas subprime foi mais sintoma do que causa. Os problemas sociais e econômicos mais profundos que deram origem a ela permaneceram.

A grande surpresa que tive (e você vai ter) é descobrir que a crise imobiliária em si foi apenas a ponta do iceberg. Por baixo dos panos, há problemas culturais enraizados em países como Islândia, Estados Unidos e Grécia que explicam a crise mundial e não foram curados com os empréstimos bilionários feitos aos bancos.

Depois de concluir a leitura, fazer várias anotações e algumas pesquisas externas, resolvi compartilhar com vocês o que aprendi. Escrever exatamente o tipo de texto que gostaria ter lido na época, para ter noção do que estava acontecendo ao redor do mundo. E, de um modo geral, isso faz parte da filosofia Estrategista: enxergar o mundo no modo macro, entender as forças que estão movimentando países e grandes corporações, de modo que possamos nos posicionar de modo a causar maior impacto (e gerar maior riqueza).

Para servir de introdução, deixo você com esse vídeo (muito bem feito) falando apenas da crise do subprime. Ele explica passo a passo o que foi, quem saiu perdendo e como saiu perdendo. Essa série de post vai muito além, abordando os problemas enraizados nos principais países e discutindo como uma crise imobiliária nos Estados Unidos levou a Grécia à falência, por exemplo.


Um dos melhores vídeos que já vi sobre a crise | Link Youtube.

Nos próximos dias, já entro no primeiro post da série (minha meta é um post por semana), falando sobre a Islândia (sim, ela mesmo!) e como ela pode nos ajudar a entender toda a crise.

 

Paulo Ribeiro

Autor, empreendedor, amante do aprendizado e um estrategista moderno. Escreve sobre estratégias para viver uma vida melhor e mais significativa.

 
  • gabriel Albano

    Excelente!

  • adaham

    Iai cara , blz ? Sou very leigo nesse assunto , vim aqui por causa do filme A grande aposta.Poderia dizer que isso é uma pirâmide ? Vlw !

  • Miguel Eduardo Silva

    Oi um documentário interessante que explica a crise é o Inside Job. Também sou fascinado pelas crises financeiras.