10 Conselhos de Um Milionário Que Saiu do Zero Ao Filho Começando a Vida

Saber como gerar riqueza e conviver com ela  é um desafio e tanto, especialmente para quem está saindo do zero.

Nós costumamos simplificar muito nossa relação com o dinheiro, acreditando ser apenas uma questão de poupar no cafezinho, trabalhar mais e investir no tesouro.

Ser dono de uma fortuna, no entanto, é muito mais do que isso.

É mais do que administração. É uma questão de saber lidar com o verdadeiro valor da riqueza, com o que é importante na vida, com as outras pessoas, com a preguiça e a integridade moral… Preparar alguém para a riqueza precisa cobrir muitas áreas.

Esse texto é uma tentativa de condensar lições importante sobre como se desenvolver como pessoa e se preparar para o dinheiro, lições essas que foram passadas por um pai real a um filho começando a vida.

Como é provável que você não tenha um pai milionário para cuidar de sua preparação (assim como não tenho), é preciso buscar na história o conhecimento para aprender tudo isso. Continue lendo e você descobrirá:

  • A importância da educação na formação de um milionário (e como conseguir a sua).
  • Como cometer muitos erros pode ser uma vantagem.
  • O impacto que a postura certa no trabalho pode ter em seu crescimento.
  • A vantagem em desenvolver o pensamento claro e a fala breve.

Parece interessante? Vejamos, então.

Como diferenciar um conselho bom de um ruim

Todo mundo quer dar conselhos a você. Seus pais, seus irmãos, seus familiares distantes, amigos, colegas de trabalho, o taxista e o gerente do banco. Se existe uma coisa farta na vida sem que precisemos correr atrás, é conselho.

Barraca de Conselhos

O problema, claro, é que muitos deles são de baixa qualidade para sua situação. Afinal de contas, um conselho diz mais sobre as dificuldades que a pessoa que o diz está passando do que sobre os desafios de quem está ouvindo.

Alguém que está mal pelo término de um relacionamento está lhe dizendo para sair e curtir a vida sem se apegar? Ou alguém que recentemente faliu uma empresa dizendo para você buscar um emprego estável? Alguém fora de forma dizendo que a vida é muito curta para se preocupar com a saúde? É, olhando desse jeito, fica mais claro como conselhos normalmente não se aplicam à sua vida…

Quando se trata de dinheiro, então, consultores brotam até do chão. Todo mundo sabe que você tem que fazer um concurso, conseguir estabilidade na vida, investir em imóveis na planta e trocar de carro todo ano para não desvalorizar.

Obrigado, senhores óbvios. Isso não me interessa (além de estar errado).

A melhor maneira para filtrar conhecimento valioso é enxergar a vida da pessoa que está dando o conselho e verificar se ela saiu de um lugar parecido com o seu e chegou aonde você queria chegar.

Se ela nem começou no mesmo ponto, nem chegou no mesmo lugar que você desejava, em qualquer área que seja (financeira, amorosa, empregatícia), o conselho dela não serve de muita coisa.

Quanto você pagaria pelos conselhos de um milionário?

Bom Conselho, por Jen Collins
“Bom conselho” | por Jen Collins

Seguindo a linha de pensamento de que a pessoa a quem você deve prestar atenção é aquela que alcançou o que você quer alcançar partindo de um lugar parecido com o seu, quanto vale para você os conselhos de um milionário?

Não muito, se ele for alguém que nasceu em uma berço confortável e só assumiu o negócio da família. Ou se ele foi alguém que deu sorte, comprando um imóvel no começo da vida em uma área que sofreu especulação imobiliária até atingir a casa dos milhões.

(O número de milionários desse tipo no Brasil cresceu bastante na última década, por sinal)

E se esse milionário é alguém que construiu a riqueza com as próprias mãos? Eu definitivamente estaria interessado, afinal de contas, é algo que pretendo fazer na minha vida.

Mas isso ainda fica melhor: nós vamos ouvir o que o milionário tinha a dizer ao próprio filho enquanto ele amadurecia. Não se trata de ouvir conselhos financeiros de um expert, mas de estar na casa dele, ouvindo ele falar com o próprio filho sobre as lições do dinheiro e da vida. O que, em condições normais, está trancado a sete chaves.

Qual o valor de um livro desses? Eu pagaria 70, 80 reais nele? Não, pagaria mais. Até uns 150, 200 reais nesse livro seria justo (você paga mais que isso por coleções como Game of Thrones, de livro para diversão).

Pois bem, esse livro está disponível na internet gratuitamente. Gratuitamente. Depois de terminar de lê-lo, eu me senti meio errado, como se eu tivesse pego algo extremamente valioso de graça. Sabe a sensação?

Para tornar sua vida ainda mais fácil (e retribuir de alguma forma), destilei as principais lições contidas na leitura e fiz a tradução livre de alguns trechos.

Nada melhor que ouvir conselhos sobre a vida de um milionário que saiu do zero para o próprio filho.

Quem foi esse milionário e seu filho?

Pai e Filho, por Nicolas Buffardpor Nicolas Buffard

Não há muito a respeito deles disponível.

O livro em questão, Letters From a Self-Made Merchant to His Son, é uma coleção de cartas que o pai, John Graham, chefe da casa Graham e da empresa Pork-Packers, escreveu ao filho ao longo da vida, começando quando este foi à universidade.

As cartas foram coletadas pelo jornalista George Lorimer e publicadas no começo do século XX. Ao que tudo indica, foram escritas na década de 1890 e tratam apenas das respostas do pai às comunicações do filho (não tem cartas do filho ao pai).

Mesmo com mais de 100 anos de idade, essas cartas parecem que foram escritas ontem. Ao ler o livro, você fica com a sensação de ter um avô seu, que fez algo que você queria saindo de um lugar parecido, dando conselhos a você. Ou seja, é impossível negar a importância e a aplicabilidade, de modo que seu cérebro já começa a automaticamente buscar usos para aquilo.

O negócio da família era empacotar carnes: eles abatiam os animais, separavam os diferentes tipos de carne e as empacotavam para venda. A empresa estava bem, com uma sede fixa, vários vendedores viajando pelo país oferecendo o produto e mandando encomendas de volta para a planta. Durante o livro (ao longo da década, acredito) eles até abrem uma sede na Inglaterra.

Abaixo, seguem alguns trechos com as lições dentro. Em alguns, faço comentários breves para adicionar. Os demais estão por conta própria, pois bastam a si mesmos.

1. Sobre garantir o comando da própria vida

Aquela mesma ambição de ser conhecido como um bom camarada lotou meu escritório com funcionários de segunda categoria e eles sempre serão funcionários de segunda categoria. Se você a tem, segure-a até que você tenha trabalhado por um ano.

Então, se sua ambição corre para se curvar sobre uma mesa durante a semana toda, para ganhar oito dólares para gastar em algumas rodadas de bebidas para os garotos na noite de sábado, não há objeção alguma para que você a satisfaça; porque eu saberei que o Senhor não desejou que você fosse seu próprio chefe.

De um modo bem simples, um tema complexo é abordado e esclarecido: você não pode se deixar influenciar negativamente pelo seu círculo social. Ou melhor, sua vontade de parecer alguma coisa não pode atrapalhar seu caminho para ser alguma coisa.

Quando você está torrando o salário em compras para impressionar as pessoas, você está tentando comprar amizade, parecendo dispor de uma fartura que não possui. Livre-se dos dois males: as relações negativas que precisam ser compradas e a necessidade de parecer algo para os outros.

2. Sobre não seguir os outros vivendo uma vida fácil e irresponsável

Aqueles bezerros naturalmente seguem por aquele caminho e entram no curral. Mas assim que eles estão chegando no topo, o velho Abe, de algum modo, se perde na multidão e ele não está entre aqueles presentes quando os portões se fecham e o verdadeiro problema começa.

Essa passagem me chamou atenção porque se conecta com algo que minha mãe sempre me disse sobre ser o “maria-vai-com-as-outras”.

No caso do John, escrevendo para Pierre, ele falou o exemplo de um bezerro esperto, que sempre conseguia mover o rebanho com agito na direção do circuito de abate, mas na hora de fechar a porta, ele nunca estava no meio daqueles que seriam abatidos: de alguma forma, ele sumia.

Eu, por crescer cercado de pessoas com uma condição social muito mais confortável que a minha, era lembrado disso constantemente. Para meu eu criança/adolescente, a lição foi valiosa, pois me ajudou a medir as ações do “grupo de amigos” para checar se seria uma boa ideia para mim, dado que não tinha o mesmo background deles.

De um modo geral, a lição que fica é: questione se aquela ação faz sentido para sua vida dado seu background em comparação com as pessoas a sua volta que estão tomando aquela ação.

Por exemplo, dada sua condição financeira, faz sentido você ser dono de uma casa hoje? Ou de um iphone? Não compare realidades externas, mas sim o plano de fundo e veja se nele a ação vale a pena para você.

3. Sobre ir atrás das coisas

Não há nada que vem sem ser chamado nesse mundo e depois de você ter chamado você geralmente tem que levantar e ir buscar por si mesmo.

4. Sobre fazer as coisas de modo completo

Eu não quero ser muito duro com você agora no começo de sua vida na estrada, mas eu me sentiria bem mais feliz se você demonstrasse que seria um fracasso completo ou um sucesso limpo de vez em quando, ao invés de sempre passar raspando desse jeito. Parece para mim como se você estivesse tentando apenas com metade do esforço que você poderia, e em tentar é a segunda parte que traz os resultados.

Se há um pedaço de conhecimento que é de menos uso para um camarada que saber quando ele foi derrotado, é saber quando ele fez apenas trabalho suficiente para evitar ser despedido. Claro, você é brilhante o suficiente para ser um homem pela metade e para assegurar um lugar pela metade com um salário pela metade fazendo metade do trabalho do qual você é capaz, mas você tem que adicionar dinamite e gengibre e trepidação a seu equipamento se você quer pegar a outra metade que está vindo para você.

5. Sobre aplicar tudo que você aprende na vida real

Não, eu não posso dizer que eu penso algo de sua ideia de curso de pós-graduação. Você não será um poeta ou professor, mas um empacotador, e o lugar para pegar uma pós-graduação para esse chamado é na casa de empacotamento. Alguns homens aprendem tudo que sabem de livros; outros, da vida; ambos tipos são estreitos. Os primeiros são todos teoria; os segundos são todos prática. É o cara que sabe o suficiente sobre a prática para testar as teorias dele em busca de furos que dá ao mundo um empurrão para frente e encontra uma margem de lucro boa ao empurrá-lo.

Ao concluir a faculdade, Pierre provavelmente estava acostumado à boa vida e queria se prender mais a estudos, sugerindo a ideia ao pai. Este, por sua vez, nos deu essa pérola sobre o tal equilíbrio de conhecimento teórico e prático.

6. Sobre ter a atitude certa diante de seu trabalho

Na primeira semana, muitos deles vão trabalhar suando de medo que serão demitidos; na segunda semana por medo que eles não sejam. Pela terceira, o garoto que não é bom aprendeu o quão pouco trabalho ele pode fazer para manter o emprego dele; enquanto o rapaz que tem a coisa certa nele está segurando o próprio lugar com uma mão e começando a se esticar para o trabalho logo acima dele com a outra.

Eu não quero dizer que ele está negligenciando o trabalho dele; mas ele está começando a prestar atenção (no ambiente ao redor), e esse é um sinal poderoso de esperança tanto em um jovem funcionário quanto em uma jovem viúva.

7. Sobre agir ao invés de reclamar das circunstâncias

Eles são os homens que estão sempre lamentando que Bill Smith foi promovido porque ele teve um puxão e que eles estão sendo segurados porque o gerente tem inveja deles. Eu vi muitos puxões em meu tempo, mas eu nunca vi um forte o suficiente para levantar um homem mais alto do que ele poderia se levantar pelas próprias forças […]

Quando alguém se vangloria de ter um puxão, ou ele é um mentiroso ou seu empregador é um tolo. E quando a pessoa choraminga de estar sendo presa em baixo, a verdade é, como cenário geral, que o chefe dela não consegue segurá-lo em cima. Ela apenas pega um lugar legal e agradável, deita toda esticada e grita que algum bruto sem coração a derrubou no chão e está sentado em seu peito.

8. Sobre cometer erros diferentes para aprender

Há uma desculpa para cada erro que um homem pode fazer, mas apenas uma. Quando o indivíduo comete o erro duas vezes ele tem que levantar as duas mãos e assumir descuido ou maldição. Claro, eu sabia que você ia se fazer de bobo com bastante frequência quando eu te mandei para a faculdade, e eu não me desapontei. Mas eu esperei que você estreitasse o número de combinações possíveis ao se fazer de um tipo diferente de bobo cada vez.

Essa ideia passa de certo modo pelo conceito de responsabilidade que já discutimos aqui. Errou uma vez? Ótimo, agora você deve aprender com ele. Uma vez que você teve acesso a “essa aula”, um segundo erro não é mais desculpável, tendo em vista que você já foi educado a respeito.

Por mais que saibamos que é uma droga cometer erros (não é naturalmente agradável para ninguém), você pode ter uma vantagem competitiva se comete erros demais, contanto que eles sejam diferentes entre si. Significa que você está aprendendo mais, obtendo mais conhecimento do mundo real, algo que aqueles que evitam os erros a todo custo estão perdendo.

9. Sobre ser de pensamentos claros e fala limpa

Eu lembro ter lido certa vez que algumas pessoas usam a língua para disfarçar pensamentos; mas a minha experiência é que muitas usam-na ao invés do pensamento.

A conversa de um homem de negócios deveria ser regulada por menos e mais simples regras que qualquer outra função do animal homem. Elas são:

Ter algo a dizer.

Dizê-lo.

Parar de falar.

Começando antes de você saber o que você quer dizer e se mantendo depois de você ter tido o que queria termina em processo para um mercador ou para a coitada da empresa, e o primeiro é um atalho para o segundo. Eu mantenho um departamento legal aqui, e custa bastante dinheiro, mas é para me manter longe da lei.

É ok quando você está visitando uma garota ou falando com amigos depois do jantar ter uma conversa como uma excursão escolar, com paradas para pegar flores; mas no escritório suas sentenças deveriam ser a distância mais curta possível entre dois pontos. Corte fora a introdução e o discurso, e pare antes que você chegue ao “em segundo lugar…”.

Você tem que pregar sermões curtos se você quer pegar os pecadores; e os diáconos não vão acreditar que precisam de sermões longos para si. Dê aos tolos a primeira e às mulheres a última palavra. A carne está sempre no meio do sanduíche. Claro, um pouco de manteiga nos dois lados dele não vai fazer mal algum se é para o homem que gosta de manteiga.

10. Sobre a importância da educação

Sua mãe voltou em segurança essa manhã e ela quer que eu diga a você sem falta para não estudar demais, e eu quero dizer a você para garantir que não estude de menos. Nós estamos mandando você para Harvard para que pegue um pouco de educação que é tão boa e vasta lá.

Quando passar por lá não se acanhe, mas se estenda e pegue uma boa porção todas as vezes, porque eu quero que você pegue sua parte. Você descobrirá que educação é praticamente a única coisa por aí solta no mundo, e que é praticamente a única coisa que um homem pode ter tanto quanto ele esteja disposto a pegar. Todo o resto está parafusado e a chave-de-fenda, perdida.

Essa exposição corrobora algo que me acertou como um tijolo a alguns meses: o caminho para o sucesso é através da educação.

Não “educação de escola”, aquela que no final das contas, te entrega um pedaço de papel para você apresentar por aí. Não. Estamos falando da educação transformadora, aquela através da qual obtemos conhecimento e processamo-lo a fim de gerar mudanças em nossa visão de mundo.

Levar minhas leituras a sério foi só o passo lógico. Antes desse insight, eu lia muito e variadamente simplesmente por ser curioso e ter amigos leitores me recomendando diversos temas. Hoje, vejo a leitura ao mesmo tempo como parte de meu trabalho e de minha preparação para a vida. Não é à toa que tenho um sistema para extrair o máximo de livros e faço questão de usar tudo que aprendo.

Simplesmente a ficha caiu que não ler e aprender o máximo possível seria algo simplesmente estúpido.

O milionário falou. Você ouviu?

Considere-se extremamente sortudo pela oportunidade de ter acesso a um material desses. Eu me considero. Não é todo dia que você tem uma visão de como as coisas funcionam “do lado de dentro”, explicadas por alguém que chegou lá de modo consciente (e não por sorte ou acaso).

Algumas dessas lições não são novidade. Aliás,  muitas são até óbvias, de fato. Contudo, a pergunta que fica é: você está agindo de acordo com tudo o que sabe? Raramente estamos.

Como um exercício mental, sugiro que você caminhe pelos erros cometidos nas últimas semanas e analise quais poderiam ter sido evitados se você tivesse seguido essas “lições óbvias”. Frequentemente precisamos de lembrete sobre aquilo que realmente importa.

Os lembretes, em poucas palavras, estão a seguir. Compartilhe o artigo e ajude a levar esse conhecimento para mais pessoas!

  • Não se prenda a amizades ruins nem à necessidade de parecer o que não é.
  • Sempre questione se algo que “todo mundo realiza” tem sentido dado sua vida e seu background.
  • Na vida, é preciso chamar, ir buscar e trazer arrastando para casa o que você quer.
  • Se você está vivendo uma vida pela metade, está faltando esforço na direção certa.
  • Saiba o suficiente sobre a prática para testar suas teorias sobre a área.
  • Ambição não é ruim e ajuda a crescer. Mantenha o olho no pote sem negligenciar o agora.
  • Lamentação é sinal de que você está fazendo algo errado. Normalmente é uma postura errada diante dos desafios.
  • Erros são fonte de aprendizado contanto que você assuma responsabilidade por eles e trate de não repeti-los.
  • Tenha algo a dizer. Diga. Não fale mais. Use floreios e rodeios quando for conveniente, não no dia a dia.
  • Educação é o que há de mais abundante à sua disposição. E vai fazer a diferença. Logo, vá atrás.

Por último, não deixe de colocar o seu email abaixo e se inscrever para ser o primeiro a receber novidades do Estrategistas.

Até a próxima!

 

Paulo Ribeiro

Autor, empreendedor, amante do aprendizado e um estrategista moderno. Escreve sobre estratégias para viver uma vida melhor e mais significativa.

 

17 thoughts on “10 Conselhos de Um Milionário Que Saiu do Zero Ao Filho Começando a Vida

  1. Incrível Paulo. Eu não conhecia esse livro, que bom que compartilhou. Ótimos conselhos do sr. John Graham. Eu tinha escolhido Grant Cardone habitosmilionarios.com.br/enriquecimento/milionario-grant-cardone-compartilha-para-ficar-milionario-antes-dos-30-anos como mentor atual e John Graham é uma ótima opção também.

    Obrigado por mais uma descoberta que vc sempre proporciona.
    Grande abraço :D

  2. Grande Paulo,
    Obrigado por mais um excelente Post.
    Me chamou atenção o fato de você ter um sistema para implementar o conhecimento que você adquire nas suas leituras. Esse é um grande problema meu, leio bastante, mas não consigo que esse conhecimento adquirido traga um beneficio real na minha vida.
    Você poderia explicar, mesmo que superficialmente como funciona o seu sistema?
    Mais uma vez Obrigado, o seu site tem contribuído muito na minha jornada de transformação de vida.

    Tiago

  3. Parabéns por mais esse excelente post!
    Achei muito intereçante a parte que fale que o conhecimento é a única coisa que esta solta no mundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *