O Que Aprendi Ajudando a Organizar um TEDx

Se alguém chegasse a você e dissesse: “olha, você agora tem um segundo emprego que provavelmente vai tomar todo seu tempo livre, vai assumir muitas responsabilidades sobre um evento público para todo o estado e ah, não vai ganhar nada por isso; você começa amanhã”. Qual seria sua reação? É, amigo, eu entrei nessa consciente, e por escolha própria.

Para quem não conhece, o TED é uma organização sem fins lucrativos que se dedica às ideias que merecem ser espalhadas. Nele, os maiores pensadores mundiais são convidados a compartilhar em 18 minutos, suas ideias e experiências, com o intuito de motivar e inspirar a platéia a transformar ideias em ações.

No caso do TEDx, eles são eventos locais sem fins lucrativos, organizados de forma independente, que reunem pessoas para dividir uma experiência ao estilo TED. Várias cidades brasileiras já abrigaram uma versão do projeto, trazendo à tona pessoas com experiências de vida incríveis e motivando as comunidades à ação. É o caso do TEDxFortaleza, TEDxAmazônia, TEDxSãoPaulo, dentre outros.

Eu já fui afortunado o bastante de assistir ao TEDxRecifeAntigo em minha cidade. Por acreditar na ideia, me voluntariei no final do ano passado e desde então tem sido uma jornada que culminou com a realização do TEDxUFPE no dia 08 de junho.

O Evento

O espetáculo (sim, foi um) aconteceu na Universidade Federal de Pernambuco, com o tema “Levando seus sonhos a sério”. As pessoas que vieram palestrar foram grandes sonhadores que correram atrás do que acreditavam e estavam fazendo acontecer, mudando vidas pelo caminho.

Houve gente de todas as áreas: desde projetos sociais passando por grandes pensadores que estão mudando seus campos de atuação, robótica livre, empreendedores jovens e inquietos, especialista em foguetes educacionais até um projeto que ensina Maracatu para surdos. Sim, isso mesmo, Maracatu para surdos.

Dentre todos os problemas ocorridos na organização, como dificuldade com patrocinadores e adiamento do evento graças a condições climáticas, a própria realização foi um sonho que se tornou realidade. E, como toda grande experiência na vida, aprendemos muito no processo.

As Lições

Como acredito ter aprendido lições valiosas e que ainda há pouca transparência objetiva no que trata de experiências pessoais de evolução na internet, compartilho abaixo algumas lições.

1. É possível fazer voluntariado sem se sentir mal a respeito

444

Sempre quando se menciona trabalhos voluntários em uma roda de conversa, as pessoas ficam desconfortáveis. É um tema sensível, já que ninguém gosta de viver em um mundo onde há idosos desamparados, crianças sem família ou pessoas morrendo de fome. Além disso, toda a cultura ocidental supervaloriza autossacrifício (talvez devido a raizes cristãs) para ajudar o próximo fazendo com que as pessoas associem voluntariado a sentimentos negativos (pena, culpa, dor, etc).

No entanto, minha experiência pessoal mostra o contrário. Você pode causar impacto no mundo, mudar a vida das pessoas e viver os melhores momentos de sua vida; tudo ao mesmo tempo. Se você aborda os projetos com uma mentalidade diferenciada, toda a experiência muda. Uma coisa é fazer voluntariado porque você se sente culpado por ter condições boas de vida enquanto muita gente sofre lá fora; nesse cenário, o trabalho vai ser um sofrimento. Outra coisa é você agir porque acredita que pode fazer um mundo melhor através de suas ações, que você faria aquilo mesmo que não tivesse “condições”.

2. Trabalhar em equipe é mais do que você imagina

Eu pensava que sabia trabalhar em equipe. Pensava.

Quase todo mundo. Equipe sensacional | TEDxUFPE

Uma vez que você vive a experiência, tem noção do que realmente é. Por um lado, coordenar duas dúzias de pessoas com horários diferentes, trabalhando separadamente e com atividades diferenciadas é um tremendo desafio. Por outro, é extremamente gratificante fazer parte de um grupo com ideias parecidos e que luta para trazer algo tangível para a realidade.

Para eu que sou acostumado a tocar projetos sozinho ou puxando o barco, a experiência de ser liderado foi bastante importante. Por fazer parte de uma das subequipes, eu ficava respondendo diretamente à coordenadora da minha área. Isso foi bom, pois tirou o peso da liderança, requerendo menos responsabilidade da minha parte e me permitindo ajudar sem precisar dedicar tantas horas de trabalho quanto os líderes, por exemplo.

Ser liderado em uma sociedade que supervaloriza líderes é uma experiência interessante. Ninguém fala muito em como ser um número dois (ou três, ou quatro), como trabalhar lateralmente para integrar uma equipe, discutir ordens recebidas, aprender a fazer sugestões em projetos que você não comanda, etc. A experiência, nesse sentido, foi diferenciada e me deu oportunidade de conhecer bons líderes os quais vale a pena seguir.

O que nos leva ao próximo ponto: pessoas.

3. Você não está sozinho querendo mudar o mundo

É normal se sentir só, principalmente se você é inquieto e está sempre envolvido em movimentações sociais. As pessaos a tua volta não te entendem, a mídia inunda você com um mundo cruel e sem compaixão e, quando você menos percebe, acha que está sozinho querendo mudar as coisas no mundo.

Eventos como o TEDx me mostraram que há bastante gente inquieta lá fora e das maneiras mais diversas possível: trabalhos sociais, plataformas livres, pesquisa de ponta, movimentações estudantis… tem gente boa para todos os lados. E nada melhor que um evento TEDx para colocar todo mundo em uma sala para trocar ideia. Consegue ter ideia do resultado?

“Para chegar ao limite do conhecimento mundial, busque as mentes mais complexas e sofisticadas, coloque-as juntas em uma sala e faça com que perguntem umas às outras as questões que estavam perguntando a si mesmas”

Edge.org

4. Não sei bem o que é felicidade, mas com certeza senti nesse dia

No momento dos agradecimentos, quando a equipe subiu ali no palco, a sensação era… boa. Uma mistura de orgulho, com satisfação, com sensação de dever cumprido, com agradecimento; um lance bem difícil de descrever. Novas amizades, novos projetos, mais inquietações.

“I can’t tell you what it really is

I can only tell you what it feels like”

“Não posso te dizer o que é, só posso te dizer qual é a sensação” Eminem

Se interessou? Veja como começar.

Para organizar um evento, é preciso tirar uma licença, permissão da organização TEDx para a coisa toda rolar. Qualquer um pode aplicar, contanto que seja legamente maior de idade, não pertença a facções extremistas e não use o evento para fins comerciais. Se você tem interesse, recomendo olhar aqui.

Minhas sugestão é procurar a movimentação das pessoas em sua cidade e saber se já existem pessoas trabalhando nessa direção. É muito mais fácil, a primeiro momento, juntar um time formado do que começar tudo do zero (o que não é impossível, claro). Sem falar na vantagem de conhecer um grupo de pessoas que pensa como você.

No final de meses de trabalho, a recompensa é o impacto e uma nova família.

 

 

 

 

Paulo Ribeiro

Autor, empreendedor, amante do aprendizado e um estrategista moderno. Escreve sobre estratégias para viver uma vida melhor e mais significativa.

 
  • Luri Barbosa

    Lindo seu texto! :) É bem isso mesmo…
    Serei sempre grata por ter feito parte dessa equipe.

    • obrigado, luri. é um prazer te ter como amiga agora!

  • Olá Paulo!

    Deve ser bem gratificante ser voluntario em algo desse tipo.Nunca fui voluntários,mas se for para algo assim deve ser muito bom,pois não é como ser voluntários e um catástrofe,não que não seja bom,pois você ajuda da mesma forma e ainda ganha muito,seja em conhecimento ou amizades,por exemplo.

    Abraço!

    • Exato. A maior parte dos projetos que faço parte foi desenhado dessa forma, de modo que todo mundo saia ganhando da interação. Acredito que é nessa direção que a filantropia irá se desenvolver nas próximas décadas.

      Sem falar que é uma ótima desculpa para ficar cercada de pessoas interessantes.

      Abração

  • Pingback: Como Parar de Planejar e Começar a Fazer? | Estrategistas()

  • Pingback: Como Conseguir Satisfação no Trabalho e na Vida? | Estrategistas()

  • Daniel Marinho

    Olá Paulo!

    Parabéns pela iniciativa e pelo trabalho, tenho conhecido o TEDx a pouco mais de 2 meses, e estou muito empolgado e gostaria muito de participar de um, mas não sei como, muito menos quando; eu realizo palestras a 2 anos com estudantes na escola perto de onde moro e tem sustirdo muito efeito no que diz respeito a principios como civilidade, o respeito pela sociedade ao redor, e acima de tudo a responsabilidade como ser humano de ser um agente multiplicador do bem e do amor ao próximo. Então gostaria de saber como faço para participar, já fiz um cadastro no site da TEDx mas não sei muito bem o que devo fazer..
    aguardo uma ajuda!
    desde já muito obrigado e parabéns mais uma vez pelo trabalho!

    O Senhor te abençoe e te guarde!

    Pr. Daniel Marinho
    Coach Executivo