• Share on Google+

Talvez um pouco hardcore, mas uma visão de mundo interessante.

Nós estamos numa era que assume os estreitos padrões de especialização como lógicos, naturias e desejáveis. […] Avanços na ciência tem agora descoberto que todos os casos conhecidos de extinção biológica têm sido causados por uma superespecialização, cuja concentração de apenas genes selecionados sacrificou uma adaptabilidade geral. […] No meio tempo, a humanidade tem sido deprivada do entendimento compreensivo. Especialização tem alimentado sentimento de isolamento, futilidade e confusão em indivíduos. Também tem resultado em indivíduos deixando a responsabilidade de pensar e tomar ação social para outros. Especialização alimenta tendências que se agregam como discórida internacional e ideológica, o que, por sua vez, leva à guerra.

Buckminster Fuller, em sua obra ‘Synergistics’

Talvez a relação causal “especialização humana-> guerras globais” seja forte demais, mas o quote em si é bem interessante. Alinhado com a visão estrategista do mundo. O mais legal é ouvir isso de uma pessoa extremamente bem sucedida;

“Durante a sua vida, Buckminster Fuller escreveu 28 livros, foi considerado Doutor Honorário 47 vezes em instituições de Artes, Ciências da Natureza, Engenharia e Ciências Humanas, recebeu vários prêmios ligados a arquitetura e design nos Estados Unidos e Inglaterra. Seu trabalho esteve permanentemente em museus em todo o mundo.”

O autor de ficção científica, Robert Heinlein, também partilha seus pensamentos a respeito da especialização no livro “Tempo Suficiente Para Amar”.

Um ser humano deveria ser capaz de mudar uma fralda, planejar uma invasão, matar um porco, guiar um navio, projetar uma construção, escrever um soneto, fazer balanço de caixa, construir uma parede, colocar um osso no lugar, dar conforto a quem está morrendo, receber ordens, dar ordens, cooperar, agir sozinho, resolver equações, analisar um novo problema, adubar o solo, programar um computador, cozinhar algo gostoso, lutar eficientemente, morrer galantemente. Especiazação é para insetos.

Gosto muito dessa lista. Ainda há algumas coisas que não consigo fazer, mas chego lá!

E você, tem superespecializado em algo?

  • Luís
    Responder
    Author
    Luís

    Grande Paulo!

    Este pensamento se enquadra em muito do que acredito e tem a ver com o grande sonho da minha vida: ser um polímata :)

    Gente como o Buck, Da Vinci e Tim Ferriss nos mostram que não há limites para as capacidades humanas!

    =-D

    • Paulo R. Ribeiro
      Responder
      Author
      Paulo R. Ribeiro

      Opa!

      Tive que procurar a definição do termo na wikipedia.

      >”Um polímata é uma pessoa cujo conhecimento não está restrito a uma única área. Em termos menos formais, um polímata pode referir-se simplesmente a alguém que detém um grande conhecimento. Muitos dos cientistas antigos foram polímatas de acordo com os padrões atuais.”

      Excelente modelos a se seguir, Luís. Eu gosto muito de Newton também; embora ele não tenha sido muito sociável, se garantiu MUITO. Mesmo para o nível dos gênios tradicionais!

      Seguimos, que a jornada é longa mas recompensadora.
      abração!

  • Bruno Rocha
    Responder
    Author
    Bruno Rocha

    Especializar se como poucos; no sentido de ser mais humano. O ideal.

  • Como Parar de Planejar e Começar a Fazer? | Estrategistas
    Responder
    Author
    Como Parar de Planejar e Começar a Fazer? | Estrategistas

    […] em várias coisas não é um problema, como muita gente que entra em contato comigo imagina. A sociedade espera que você se especialize e fique naquilo até sua morte, mas há muita gente que não se adpata a esse modelo e se […]