Estudando Estratégias e Táticas: As Vantagens de Ser Um Estrategista na Vida

Muito se fala e pouco se diz sobre estratégias e táticas.

São temas interessantes, derivado do arcabouço militar e por isso com certeza chamam atenção. Autores de admnistração, liderança, romance, todos usam esses termos como metáforas de ação, mas… há alguma discussão prática de como usar estratégias e táticas no dia a dia?

Se você quer finalmente entender as diferenças entre estratégias e táticas em seu dia a dia (não apenas em guerras, ou em negócios), continue lendo esse texto. Nele, falaremos sobre:

  • A diferença entre viver no paraíso estratégico e ser condenado ao inferno tático.
  • O que é e como aplicar Grande Estratégias.
  • Como Estratégia é uma arte de palpite educado.
  • As vantagens de tomar o caminho estratégico para a vitória.

Parece interessante? Vejamos, então!

 

O Inferno Tático e o Paraíso Estratégico

robert greene

O dia a dia é bem caótico, se você parar e pensar a respeito.

Há muitas atividades, trabalho, faculdade, namorada, família, o amigo que acabou o namoro, o colego de trabalho que está espalhando boatos sobre você, a atendente do caixa que está mal humorada, o problema do trânsito, dor de cabeça, preguiça de ir malhar, seu cachorro doente… ufa.

Muita coisa acontecendo ao mesmo tempo. Manipular a energia em busca de alcançar o que se deseja sob essas condições parece impossível. O foco está completamente dissipado e a maior parte do tempo é gasta “apagando incêndios”, resolvendo problemas sempre urgentes, mas nunca importantes.

Viver desse jeito tem o efeito colateral de sentir o tempo passando rápido. Afinal de contas, esse estilo de vida a uma sensação cronológica distorcida, já que boa parte do tempo a pessoa está “lutando para não se afogar”. Quando consegue um tempo para respirar na superfície, se pergunta: “uau, já se passaram 7 meses em 2014?”.

Esse é o inferno tático, como denominado por Robert Greene. A maioria das pessoas vive nesse nível, cujas principais características são: ansiedade constante, medo do futuro, stress, “trava” no crescimento e cansaço.

Em contrapartida, há o paraíso estratégico. Aqui, a palavra-chave é perspectiva. Você pode estar passando pelos mesmos desafios diários de uma pessoa comum, mas como há uma visão estratégica, você ressignifica os acontecimentos e eles passam a impactá-lo de maneira diferente.

Você não reage aos boatos no trabalho, mas analisa como eles podem ajudá-lo a alcançar seus objetivos e manipula a situação em seu favor. Problemas de trânsito, dificuldades na rotina são mais fáceis de navegar quando se tem uma visão ampla e quando se  enxergar tais desafios como preço pago para o prêmio que está lá adiante, no horizonte.

É como estar em águas fundas em um mar agitado, mas sabendo nadar e com um objetivo em mente.

Se analisarmos essas duas formas de encarar a realidade no meio militar, a diferença fica ainda mais clara.

Imagine que tenhamos uma câmera no meio de uma batalha, a  1 metro do solo . O que ela vai capturar? Um banho de sangue, gritos de dor e de fúria e pessoas se movendo em toda direção, uma cena sem muito sentido.

Se subirmos essa câmera para 10 m a visão fica um pouco mais clara. Já é possível discernir o tamanho das tropas ao horizonte, ter certa noção de quem está banhando a batalha nas redondezas e outras informações do gênero.

Levantando a câmera para 1000 m de altura? Agora sim, você possui a visão completa do campo de batalha. As coisas são menos caóticas, sendo possível observar padrões de movimentação, quem está ganhando, quais territórios estão sendo ocupados, quais estilos de luta utilizados, qual é o moral das tropas e afins.

Estratégia é um processo mental no qual sua mente se eleva acima do campo de batalha. Você ganha uma sensação de propósito maior para sua vida, onde você quer estar mais na frente, o que você está destinado a alcançar. Isso torna mais fácil decidir o que é importante, quais batalhas evitar. Você é capaz de controlar suas emoções, de ver o mundo com certo grau de distanciamento.

— Robert Greene

De modo similar, Robert fala sobre como precisamos dar um zoom para fora e observar nossa vida para além das dificuldades diretas do dia a dia, para além dos problemas com o chefe, do resfriado que pegamos, dos problemas com os correios no momento.

Isso levanta um questionamento interessante: como criar estratégias e táticas eficientes para o dia a dia? Para responder isso, claro, precisamos discutir primeiro qual é a diferença entre táticas e estratégias.

Grande Estratégia, Estratégia e Tática

Capitao Nascimento - Estrategista

O conceito de estratégia, em grego strateegia, em latim strategi, em francês stratégie […] em inglês strategy, em alemão strategie, em italiano strategia, em espanhol estrategia.

— Capitão Nascimento

Discutir os significados de palavras é uma tarefa complicada, especialmente quando tais termos se difundiram tanto na cultura ocidental como ‘estratégia’ e ‘tática’. Importadas do ambiente militar para áreas como negócios, carreira e até mesmo vida amorosa, conhecer o significado original não traz muito benefício.

A passagem do Capitão Nascimento no filme Tropa de Elite exemplifica bem o que pode acontecer com seu estudo de estratégia (e de história, diga-se de passagem) se você tem uma abordagem errada: o conhecimento se torna inerte, sem aplicação nenhuma em sua vida.

Que é exatamente o que não queremos.

Lembre-se: estudamos estratégia porque estrategistas vencem. Eles definem o que é vitória, planejam e cavam um caminho até chegar lá. Eu não dedico minha vida ao estudo da Estratégia porque acho bacana e queria ser um general como nos filmes de guerra; não, eu quero vencer e um domínio da estratégia é o melhor caminho para isso.

Já houve uma breve discussão teórica aqui. Vamos começar, então, a parte prática.  Observe o esquema abaixo.

Diferença entre Estratégia e Tática - Estrategistas

Mantenha em mente a ideia de abstração. Lembra do exemplo da câmera filmando uma cena de guerra? Pronto, quanto mais alto ela vai, mais abstrato seu entendimento do terreno fica.

Grande Estratégia

Grande Estrategia - Saber o que quer

No caso do esquema acima, parece que ele foi invertido. Afinal de contas,se o nível de abstração aumenta saindo das táticas para as estratégias, por que a grande estratégia está na base?

Esse é um dos pontos porque é difícil tornar-se um bom estrategista: a base do seu sucesso está no abstrato, não no concreto. Você começa a construir a vitória definindo-a; o que só pode ser feito através do autoconhecimento. Tudo que você vier a aprender sobre táticas de sucesso, ferramentas, passo-a-passos, dicas, tudo só vai fazer sentido uma vez que seu abstrato, suas definições estejam no lugar.

É por isso que a Grande Estratégia está na base da pirâmide.

A primeira parte da estratégia é responder a questão, ‘O que é vencer? Em direção a que estamos trabalhando? Quais são nossos objetivos de mais alto nível e por que nós os temos?’ Isso é tipicamente conhecido como Grande Estratégia.

— Sebastian Marshall

Para a vida, o topo da abstração (que é a base em termos de importância) é descobrir o porquê. “Por que fazer as coisas que você faz? Se tudo isso fosse uma viagem de férias, qual seria seu objetivo ao voltar para casa?” Pensar nisso é pensar na Grande Estratégia.

Você não pode vencer se não sabe o que é vitória e o que ela significa para você. O primeiro passo para estabelecer a Grande Estratégia em uma campanha (como na vida) é se perguntar por que sair do lugar.

Não significa que você vá precisar descobrir todos os segredos da vida e do universo para só depois definir sua Grande Estratégia. Mas defini-la, sim, é um processo trabalhoso e que requer bastante autoconhecimento.

EstratégiasEstratégias na vida

Depois da Grande Estratégia, vem as estratégias. Aqui é o cenário geral de como você vai sair de onde está até onde quer chegar.

Note que estratégia não é a mesma coisa que planejamento. Desenvolver planos robustos é uma habilidade importante de se adquirir, mas isso não é o mesmo que ser um bom estrategista.

Ser um Estrategista se trata de colecionar estratégias, como alguém colecionaria conchas ou selos, e ser capaz de adaptá-las para a situação em questão.

Isso é mais difícil que parece.

Olhe para a História. Devem ter existido milhares ou mesmo milhões de pessoas que saíram do mesmo ponto A e queriam chegar ao ponto B como você. Elas tentaram várias coisas diferentes, muitas falharam, algumas conseguiram. Para maximizar suas chances de sair de A e chegar a B, é bom :

  • Estudar aquelas que conseguiram;
  • Entender o ambiente em que elas estavam imersas e os motivos pelos quais conseguiram;
  • Compreender o meio em que você está imerso e aplicar os mesmo princípios a sua realidade;
  • Desenvolver estratégias de acordo.

É até fácil acessar o ponto 1, o que não falta hoje é livros conjecturando sobre como as pessoas de grande sucesso chegaram onde chegaram. A dificuldade para alguns, e a beleza a meu ver, são os pontos 2 e 3.

Você precisa entender o contexto em que aquelas pessoas estavam imersas de modo a descobrir por que as ações que elas tomaram fizeram sentido e as levaram à vitória. Depois de entender esse porquê, você vem para sua realidade, busca compreendê-la da melhor forma possível, para então “traduzir” os porquês da vitória do passado para seu presente.

Estrategistas e pessoas do gênero gostamos de fingir que estamos fazendo algo preciso, especialmente quando há muito em jogo. Mas não estamos. Nós estamos olhando para o passado, mantendo o máximo de examplos de casos parecidos-mas-não-exatamente-iguais na cabeça e tentando usar estes para fazer palpites educados sobre o que irá funcionar. Então colocamos em prática.

— Sebastian Marshall

A resposta para seu sucesso, no que quer que você esteja se investindo, não está explicitamente escrita nas histórias dos sucesso de Otaviano Augusto, Aníbal, Alexandre da Macedônia ou Tokugawa Ieyasu.

Você precisa redescobrir tais respostas, no melhor da sua capacidade, ao refinar seu entendimento de como o mundo de hoje funciona e como o mundo daquelas figuras funcionavam. Essa é a parte difícil e fascinante da Estratégia.

Táticas

Táticas

Pois bem, nós temos a Grande Estratégia, que se trata de definir o que você quer e o que seria vitória para você. Temos as estratégias, que seriam os modos pelos quais você pode sair de onde está para onde quer chegar. Por fim, temos as táticas.

Táticas são as implementações específicas de sua estratégia. São pequenos pedaços de ações estabelecidos para colocar sua estratégia em movimento. Em nosso esquema, táticas são construídas a partir das estratégias e se baseiam nelas.

Fala-se menos sobre táticas no geral porque, em sua maioria, elas são dependente do domínio, o que dificulta discussões abstratas. Boas táticas são conhecimento local: ser um bom vendedor, em marketing, em finanças… as táticas de uma área não se transferem muito bem para outra.

O Caminho do Estrategista

Não existe competição nenhuma entre estratégias e táticas. Se você quer vencer, você precisa de ambas. Uma é a expressão da outra em níveis de aplicações diferentes (aquela mais abstrata, esta mais prática).

Contudo, táticas são relativamente mais fáceis de se obter. Mesmo que você não venha a se tornar um mestre tático, aquela pessoa coringa-do-baralho-estilo-macguyver que consegue fazer acontecer em qualquer cenário, isso não seria uma perda tão grande. Contanto que você tenha boas estratégias, você pode complementá-las formando uma equipe com pessoas competentes para lhe ajudar a executar sua visão.

O cenário contrário, no entanto, é mais delicado. Bons estrategistas são mais raros de encontrar. Sem mencionar que, se estamos falando sobre sua vida, não dá para esperar que outras pessoas estrategizar sua visão para você. Nós já discutimos o que acontece quando você vive a vida no nível operacional: é o mesmo que ser condenado para o inferno tático.

O caminho do paraíso estratégico é longo, mas não impossível. Requer uma preparação considerável, uma jornada de constante aperfeiçoamento, mas a sensação de saber o que quer e estar levantando o máximo de recursos de modo inteligente para consegui-lo é incomparável.

Não existe mistério. Viver no paraíso estratégico significa:

  • Saber o que quer, conhecer da melhor maneira o Significado que você quer criar.
  • Acumular Poder em todas as suas formas.
  • Criar Riqueza para aumentar seu círculo de influência.
  • Ter seu nível tático em um padrão aceitável para ser capaz de criar Resultados.
  • E, claro, beber na fonte mágica de Estratégia disponível através da história.

Estratégia tem sido uma grande parte da minha vida e tenho conseguido bastante resultados através desse caminho. Espero que você tenha gostado dessa diferenciação de conceitos tão confusos.

Há muito chão para cobrirmos, desde como refinar o autconhecimento para criar melhores Grandes Estratégias, passando pela melhor maneira de estudar estratégias e aprender com a história, até modos de fazer coisas acontecerem (ao invés de só planejar) na vida.

Até a próxima!

 

Paulo Ribeiro

Autor, empreendedor, amante do aprendizado e um estrategista moderno. Escreve sobre estratégias para viver uma vida melhor e mais significativa.

 

10 thoughts on “Estudando Estratégias e Táticas: As Vantagens de Ser Um Estrategista na Vida

  1. Muito esclarecedor o seu artigo. Eu como amante da estratégia depois que procurei saber mais sobre, tinha ainda dúvida em como exemplificar melhor essa diferença entre estratégia e tática de forma mais clara. Obrigado por compartilhar o ensinamento! Abraço!

  2. Sem dúvida, um ótimo texto mas que, infelizmente, peca pelo péssimo português. A utilização correta e culta do nosso idioma ajuda a conferir a necessária robustez e confiabilidade aos textos e seus autores. Em futuras publicações, por favor, não ignore tanto assim nosso idioma pátrio!

  3. Paulo, hoje fiz uma releitura do texto, desta vez, de forma adequada a absolvição do que foi apresentado. Devo dizer que o texto é fantástico.
    Clareou muitas coisas em minha mente, na realidade, norteu uma dúvida que tinha.
    Contudo, surgiram pequenas dúvidas. Ficaria muito grato se vc respondesse.
    Sobre Grande Estratégia, se a minha for (a trivial) “Ganhar mais dinheiro/Ficar Rico”, ela é muito rasa ou pode ser encarado como um objetivo válido?

    1. Não existe “grande estratégia” rasa, assim como não existe objetivo de vida raso. Esses são julgamentos da sociedade, nada que deva interferir com o que você deseja alcançar.

      Rockefeller tem uma frase em que ele diz, parafraseando, que “um homem deve fazer tanto dinheiro quanto possível, gastar tanto quanto possível e doar tanto quanto possível”.

      Eu mesmo sigo essa linha de pensamento. Contudo, tenho um destino claro para o dinheiro que pretendo ganhar.

      Dinheiro costuma ser um objetivo do tipo instrumental, que vai te ajudar a alcançar alguma outra coisa.

      A pergunta que você tem que fazer, imagino, seja: “uma vez que eu tenha todo dinheiro que queria, o que estarei fazendo com ele? O que fazer da minha vida se dinheiro não fosse um empecilho?” Esse questionamento vai te deixar mais perto de uma resposta clara.

      Abraço!

      1. Acho que entendi. É como o traficante de informações
        Merovingian fala em uma cena do filme Matrix Reloaded. Nesse
        caso o dinheiro seria o meio não o fim, você não pega o
        dinheiro e pronto acabou, fará coisas com ele, e essas
        coisas seriam o fim, o porque. E o dinheiro seria apenas um
        meio para elas.

  4. Ola Paulo, o teu artigo é bastante esclarecedor, não encontrei nenhum igual sobre o assunto na Internet. Mas aqui um ponto que geralmente abordo de maneira diferente à sua. Normalmente, associo o ” o que” à Estratégia e o ” como” à Tática. Por exemplo decido que para alcançar um objectivo tenho de observar e estudar algo, este é o meu ” o que- estratégia “, para tal tenho de encontrar os meios de observação e estudo, então uso um binóculo, me posiciono no topo de um predio, faço anotações, discuto com alguém, etc. este é o meu ” como – tática “. O que tens a dizer a respeito?

  5. Paulo ,não sei quando escreveu esse texto, mas ao longo de meus 45 anos , nunca tinha parado para pensar e comparar sobre tática e estratégia.
    com essa visão muita coisa poderia ter feito e conquistado muitas vitórias, mas vou deixar pra lá o tempo cronológico que se foi e olhar para a grande estratégia da minha vida e acreditar buscando mais autoconhecimento e oração ,crendo que Deus , o Grande estrategista vai me guiar para obter êxito em todos os meus objetivos. Jesus foi um grande estrategista e se os homens tivessem colocado em prática suas táticas, o mundo seria muito melhor.
    seu texto foi um instrumento de Deus para que eu pudesse analisar muitas coisas que não tinha pensado até hoje
    Deus o abençoe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *